terça-feira, 6 de abril de 2010

COISAS DO FUTEBOL


O futebol brasileiro não é feito só das trapalhadas que, de quando em quando, são levadas ao conhecimento do público, pela mídia falada, escrita e televisionada. Ainda recentemente, por exemplo, a CPI da Câmara desmascarou uma série de dirigentes de clubes e até da CBF, que andaram metendo a mão, distraidamente, num dinheiro que não era deles. Casas e empresas no exterior, dólares em paraísos fiscais, utilização de “laranjas”, compra e venda de jogadores através de acordos espúrios com empresários – tudo isso e muito mais foi apurado pela CPI, que procedeu à entrega dos documentos aos canais competentes na expectativa de que os acusados fossem levados a pagar pelos seus mal-feitos. Na verdade, e como acontece muito neste país, nunca mais se ouviu falar sobre o assunto, e a própria mídia logo esqueceu de tudo o que havia noticiado, com alarde, durante umas duas semanas. A Justiça, por sua vez, como é cega e surda, de acordo com a estátua que a representa, continuou sem ver ou ouvir, e todos os acusados permaneceram soltos, como se fossem você que me lê, e rala o dia inteiro, fazendo da honestidade um caminho de vida.

Mas, enquanto tudo aqui continua como sempre, vale lembrar, apenas para amenizar a crônica, que além dos dirigentes desonestos, o futebol nacional continua, como sempre, a ter grandes jogadores, e, no meio deles, alguns não tão grandes, mas cujas declarações à imprensa, ficaram anotadas e guardadas, para serem lembradas, ao longo do tempo, sempre provocando, naturalmente, boas risadas - diferentemente de quando lembramos dos dirigentes desonestos, que nos despertam raiva.

Vamos a algumas delas:

“Tenho o maior orgulho em jogar na terra onde Cristo nasceu...”(Claudomiro, ex-meia do Internacional de Porto Alegre, ao chegar emBelém do Pará, para jogar contra o Payssandú, pelo Brasileirão)

“A partir de agora, meu coração tem uma só cor: rubro-negro!”(Fabão, zagueiro baiano ao chegar ao Rio para jogar no Flamengo)

“Que interessante! Aqui no Japão só tem carro importado!”(Jardel, ex-atacante do Vasco, quando em temporada no Japão,referindo-se aos Toyotas e Mitsubish´s)

“Clássico é clássico e vice-versa”(Do mesmo Jardel, a um radialista português)

“O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: deu um passo à frente!”(João Pinto, jogador do Benfica, de Portugal)

Finalmente, a pérola das pérolas:

A moto eu vou vender e o rádio vou dar pra minha tia!”(Josimar, então lateral do Botafogo, ao responder a um repórter o que pretendia fazer com o Motorádio que ganhou por ter sido escolhido o melhor jogador da partida).

E assim vai vivendo o nosso futebol, com os alguns “letrados” metendo a mão no que não lhes pertence, e alguns jogadores, que não pensam bem, na hora de falar, criam frases que serão lembradas para sempre para a posteridade...

Théo Drummond



4 comentários:

marilandia disse...

"... pérola das pérolas..."
COISAS INÉDITAS DOS JOGADORES DE NOSSO TÃO PROPALADO FUTEBOL.
PERTINENTE TUA CRÔNICA, QUERIDO THÉO.
TALENTO EM TUDO QUE SE PROPÕE A NARRAR.
BEIJOS COM CARINHO.
MARILÂNDIA

Jaques Hercilio Rosa disse...

Muito boa sua crônica e adoro seus texto, pena que em minha cidade Blumenau não achei nenhum de seus livros para inclui-los em minha coleção. Mas vou continuar procurando. Parabéns!!!

Isis disse...

Querido Théo,
Posso assegurar-lhe: esta sua amiga aqui,não entende nadica de nada de Futebol. Mas amei a tua narração.
E acho ate´que passei a gostar dessa paixão Nacional. rsrss...
Só porque você consegue deixar lindo até o que nunca me apeteceu. Eita sabedoria linda!
Um beijo meu querido.

Anônimo disse...

Amigo Jaques Hercilio: fiquei muito feliz em saber que você gosta de ler os meus textos.
Você tem razão: meus livros não são encontrados em Blumenau. Se você quiser adquirí-los, por favor vá até o site da minha editora, a
CARAVANSARAI:

www.caravansara.com.br

Abraço cordial do

Théo Drummond